Vem aí a Mega Artesanal 2014

 

 Mega_Artesanal2014

No próximo mês será realizada mais uma edição da Mega Artesanal, a principal feira do setor.

No ano passado visitei a Feira no sábado, na área do varejo mal dava para caminhar entre os corredores. Espero que nesta edição os organizadores providenciem algumas “avenidas” amplas para facilitar a circulação.

Muitas pessoas aproveitam para adquirir os mais diversos produtos e saem carregando um monte de sacolas, estão equivocadas.

O melhor da feira é a oportunidade de conhecer novos produtos, técnicas e idéias. Recomendo que você dedique a maior parte do tempo para visitar o pavilhão das indústrias e as exposições de trabalhos.

Visite a feira com tempo, permaneça o dia inteiro ou mais de um dia, com isso você pode aproveitar os diversos cursos disponíveis. Novamente é necessário calma, muitos se acotovelam para pintar um molde qualquer de papel. Foque nos produtos e técnicas que você não conhece, encare de forma produtiva essa oportunidade.

Por fim, o estacionamento no Centro Imigrantes é caro, só compensa se você for com outras pessoas à Feira. Opte pelo transporte oferecido pelos organizadores, vamos torcer que neste ano eles substituam as vans por ônibus.

Nos vemos por lá!

Referência

Mega Artesanal

Centro de Exposições Imigrantes

Rod. Dos Imigrantes, Km. 1,5 – São Paulo

Transporte gratuito partindo da Estação Jabaquara do Metrô

Dia 22 de Julho – Dia especial para o lojista – Das 10h00 às 19h00
De 23 a 26 de Julho – Das 10h00 às 19h00

Ingresso: R$ 20,00

Riusuke Fukahori – pintura 3D

peixe3D

Quando a Gato Preto lançou o vidro líquido logo notei que estava diante de um produto revolucionário, com as mais diversas aplicações. Os concorrentes também notaram, hoje toda empresa tem sua versão da resina que imita vidro.

Fizemos vários testes, mas a aplicação mais interessante – preencher os espaços – permitindo fazer uma bandeja com fundo de conchas foi desestimulada em virtude do baixo rendimento da resina, o que encarece muito os trabalhos com o material.

O Artista Riusuke Fukahori desenvolveu uma inacreditável técnica de pintura 3D, é difícil imaginar que ele pinta cada camada, intercalando com uma resina semelhante a do vidro liquido. Veja o processo neste vídeo (YouTube / Vímeo):

">YouTube / Vímeo):

" />#8220;Goldfish Salvation” Riusuke Fukahori from ICN gallery on Vimeo.

Mais trabalhos estão disponíveis no site do artista, em japonês.

Associo a técnica à découpage 3D e a arte francesa, a diferença é que o Riusuke Fukahori não está restrito ao papel desenhado, pode desenvolver a técnica criando as mais diversas – e únicas – obras.

E aí? Pronto para experimentar a pintura 3D?

Referência

  1. Foto: Goldfishing
  2. Catraca Livre: Veja os peixes 3D do artista Riusuke Fukahori

 

O que é artesão?

molde Barro

No último mês comentamos sobre a diferença entre artesão e artista. Vamos aprofundar a questão do artesão, afinal, será que todo trabalho manual pode ser considerado artesanato?

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior cuida do PAB – Programa do Artesanato Brasileiro, nele há uma definição clara do que é artesão:

É o trabalhador que de forma individual exerce um ofício manual, transformando a matéria-prima bruta ou manufaturada em produto acabado. Tem o domínio técnico sobre materiais, ferramentas e processos de produção artesanal na sua especialidade, criando ou produzindo trabalhos que tenham dimensão cultural, utilizando técnica predominantemente manual, podendo contar com o auxílio de equipamentos, desde que não sejam automáticos ou duplicadores de peças [2].

O programa separa do conceito de artesão o trabalhador manual, pois não pode ser considerado artesão aquele que se dedica somente a reproduzir habilidades aprendidas através de programas de TV, revistas ou livros.

Não basta dominar a técnica, é necessário adicionar identidade cultural, criatividade. O PAB assim descreve o trabalhador manual:

Apesar de exigir destreza e habilidade, a matéria-prima não passa por transformação. Em geral são utilizados moldes pré-definidos e materiais industrializados. As técnicas são aprendidas em cursos rápidos oferecidos por entidades assistenciais ou fabricantes de linhas, tintas e insumos.

Normalmente é uma ocupação secundária, realizada no intervalo das tarefas domésticas ou como passatempo. Em alguns casos, configura-se como produção terceirizada de grandes comerciantes de peças acabadas que utilizam aplicações de rendas e bordados como elemento de diferenciação comercial. São produtos sem identidade cultural e de baixo valor agregado [2].

A maioria das pessoas começa com trabalhos manuais e gradativamente vai acrescentando sua personalidade nos trabalhos, transformando-se em um artesão, um mestre em seu ofício.

Por fim, o manual reforça nossa separação entre artista e artesão apresentada no post anterior:

O artista necessita dominar a matéria-prima como o faz o artesão, mas está livre da ação repetitiva frente a um modelo ou protótipo escolhido, partindo sempre para fazer algo que seja de sua própria criação. Já o artesão quando encontra e elege um modelo que o satisfaz quanto à solução e forma, inicia um processo de reprodução a partir da matriz original, obedecendo a um padrão de trabalho que é a afirmação de sua capacidade de expressão. A obra de arte é peça única que pode, em algumas situações, ser tomada como referência e ser reproduzida como artesanato.

Nossos trabalhos também refletem essa classificação, ora produzimos um trabalho manual, ora um artesanato, ora uma obra de arte, os rótulos não são fixos.

A Soliarte sempre focou em um quarto personagem: o hobbysta, aquele que utiliza o trabalho manual como lazer, uma alternativa ao stress do dia a dia.

Referência

  1. foto: Throwing 1 (Sarah Vaughan / stock.xchng)
  2. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior: Base Conceitual do Artesanato Brasileiro

Artesão ou artista?

pincel

Muitos aplicam os termos como sinônimos, afinal a evolução humana está transformando todos os artesãos em artistas. Olhando para trás, são conceitos que não se confundem, a diferença está na origem da atividade e na finalidade da produção.

O artesão é a origem de toda a manufatura, a indústria surgiu a partir das inovações de artesãos e corporações de ofícios. Portanto, o principal foco do artesão é a produção, o volume. A maioria dos artesãos ganham com a venda de diversas unidades de sua manufatura.

Os artesãos se concentravam na marcenaria, fundição, construção civil, padeiros, etc. Reunidos em corporações, controlavam o mercado e restringiam a quantidade de pessoas que poderiam exercer a profissão, os mestres escolhiam aprendizes para perpetuar suas técnicas.

A Revolução Industrial acabou com as corporações de ofícios e seus liceus. Esse momento marcou a migração dos artesãos para as fábricas ou para o setor artístico.

O artista tem um foco diferente, de interação social, reflexão. Não está relacionado com volume de produção.

A arte, por sua vez, não está mais vinculada ao conceito de belo, como bem comentou o Eduardo Srur na CBN (artista que elaborou o labirinto de lixo reciclado no Ibirapuera). Isso me lembra o trabalho da Adriana Varejão.

Artistas e artesãos tem origem histórica muito distinta, com diferenças até mesmo sociais, mas são termos a cada dia mais próximos, certamente se tornarão sinônimos.

Referência

Foto: photl.com

Feira do Empreendedor 2014

Feira do Empreendedor

 

Na próxima semana, 22 a 25/02/2014, será realizada uma nova edição da Feira do Empreendedor do Sebrae.

Evento imperdível, no qual é possível conhecer idéias de negócio, participar de palestras dos mais variados temas e principalmente esclarecer dúvidas com os consultores do Sebrae.

O Sebrae possui diversos programas para fortalecer o artesanato Brasileiro, desde melhorar a gestão até a qualidade dos produtos. Há projetos para a formação de cooperativas e associações e o premio TOP 100.

Não podemos nos concentrar somente nos eventos focados em artesanato, é necessário ampliar o foco, a inspiração costuma vir de onde menos esperamos.

Nos vemos por lá.

Referência

Feira do Empreendedor

Expo Center Norte

Rua José Bernardo Pinto, 333

São Paulo – SP

22 a 25 de fevereiro de 2014

10h às 21h (a partir do dia 24 a feira começa 13h)

Transporte Gratuito para o evento a partir da Estação Tietê do Metrô

Entrada Grátis

 

Grandes Mestres da Arte Popular Ibero-Americana

grandesMestres

 

Até 19 de janeiro está em exposição na FIESP uma grande mostra de arte popular dos diversos países da América Latina.

Não se trata de um panorama histórico, mas sim, a produção contemporânea de 500 artistas, 50 etnias, de 22 países entre 2007 e 2012.

A arte popular reflete a cultura de cada região, materializada com os mais diversos materiais, de cerâmica e madeira à ossos e metais. A exposição está dividida conforme o material utilizado na elaboração de cada peça. Assim podemos ver a criatividade e a diversidade de técnicas para trabalhar com matérias semelhantes.

É raro uma exposição tão ampla, se estiver em São Paulo, vale a pena passar na Paulista e conhecer a exposição. Inspire-se!

Referência

Grandes Mestres da Arte Popular Ibero-Americana

Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso

av. Paulista, 1.313, em frente à estação Trianon-Masp do Metrô

até 19 de janeiro de 2014 – Diariamente, das 10h às 20h

Entrada Gratuita

A casa da Mega e a reciclagem

Aparador

A casa da Mega é um interessante espaço montado na Mega Artesanal 2013 simulando uma casa decorada artesanalmente. O reaproveitamento de diversos materiais é um dos marcos do projeto.

Os mais diversos materiais foram utilizados: luminárias feitas com cestas, armários com caixas de frutas, mesas de madeira de demolição, etc. Esse reaproveitamento de materiais é uma tendência cada vez mais forte.

quarto

A Iara Capraro tem dedicado grande espaço para esse reaproveitamento. Entre seus últimos posts podemos destacar: abajur feito de garrafas Pet, Ambientes em potes plásticos, garrafas de vidro com decoupage e craquelê, entre outros.

É interessante a busca da Iara em transformar os objetos reciclados em outros totalmente diferentes, sem relação aparente com o produto anterior.

Anderson Lima e o biscuit

Anderson Lima

Biscuit é uma das técnicas de artesanato mais interessantes, seja pela liberdade de criação, seja o custo reduzido ou a dificuldade de plágio. A maior parte dos trabalhos retratam características do artista os modelou.

O Anderson Lima foi o artista responsável por difundir essa técnica na Soliarte. As obras que expôs em nossas lojas sempre despertaram muita atenção.

publicamos várias dicas do Anderson no site. Agora o Anderson lançou um site com seu portfólio, vale a pena conhecer.

Adriana Varejão

Panorama da Guanabara, 2012
Panorama da Guanabara, 2012

Adriana Varejão é uma das principais artistas brasileiras da atualidade. Já comentamos sobre o trabalho dela quando falamos de Inhotim.

No fim de 2012 o MAM/SP realizou uma abrangente exposição da carreira da Artista (Histórias às Margens). Confesso que não fui preparado o suficiente para a exposição. De surpresa à angustia, os mais diversos sentimentos afloraram. É impossível ficar impassível diante das obras.

Conversando com a nossa equipe que visitou a exposição, conseguimos uma dimensão maior da obra, desde as entranhas que estão escondidas pelas mais diversas fachadas ao sangue que escorre no mundo, enfim, há uma infinidade de leituras.

Azulejaria verde em carne viva, 2000
Azulejaria verde em carne viva, 2000

É difícil acreditar que se trata de pintura, ainda mais sem poder tocar nas peças. Adriana confirmou na entrevista ao programa Starte (Globo News) que tudo é pintura, vale a pena assistir a matéria, destaco a visita ao ateliê da Artista.

Diferente de outros artistas, a Adriana emprega as mais variadas técnicas e materiais em seus trabalhos, há alumínio, poliuretano, tela, madeira, azulejos portugueses, barrocos, geométricos e muito mais, normalmente com pintura a óleo.

Referência

  1. Fotos: obras de Adriana Varejão, disponíveis no site oficial da Artista.

Vem aí a Mega Artesanal 2013

banner mega artesanal

Está na hora de se preparar para visitar a feira Mega Artesanal em São Paulo, que ocorre daqui um mês: 02 a 07 de julho de 2013.

A Mega Artesanal é a principal exposição de artesanato brasileira focada nos insumos para artesanato, reunindo fabricantes e lojas que comercializam os mais diversos materiais. Um dos grandes diferenciais da feira é a variedade de cursos oferecidos.

Na Feira temos contato com novas técnicas, idéias e lançamentos de produtos. Não me recordo de nenhuma edição da qual não tenha saído pensando em algo novo.

A Soliarte recomenda a visita ao stand da Luki Funsing, artesanato em vidro.

Nos vemos por lá!