Básico em Marchetaria – fase 4

Continuamos no Projeto do Relógio.

Na Marchetaria é muito importante verificar o lado da lâmina que será colada. Sempre o lado mais liso fica para fora, ou seja, o lado menos liso receberá a cola.

 

 

 

Como dissemos anteriormente, seria necessário acertar a parte central do relógio para encaixar perfeitamente. Utilize lixa para madeira.

 

 

Sempre procure utilizar as lâminas com os veios no mesmo sentido.

 

 

Vamos colar com cola branca. Segundo o Cláudio Rondeico, que já fez muitos trabalhos nesta técnica, aconselha utilizar a cola branca no lugar da cola de sapateiro (cola de contato). Tem o mesmo efeito ou melhor, e não apresenta odor forte.

 

 

 

Passe a cola nas lâminas (o lado menos liso) e no local onde serão coladas (base do relógio em MDF):

 

 

 

Quando a cola secar (não grudar ao toque) junte as partes. Faça em etapas. Começamos pela parte central. Coloque a lâmina e faça a fixação com um ferro elétrico em temperatura moderada:

 

 

Depois de fixada a parte central, cole as laterais internas da borda (não esqueça de passar o ferro). Antes de prosseguir lixe para deixar a lâmina no mesmo nível da lateral:

 

 

Termine de colar as partes. Importante observar que ao cortar as lâminas, poderá sobrar um pouco (menos que 1mm). Para que no lixamento a junção fique perfeita.

 

 

Veja que o acerto é feito na lixa. Não poderá aparecer o MDF. Quem comprar o produto deverá imaginar que está comprando em madeira de lei. É claro que você falará a verdade ao consumidor, mas a primeira impressão fica.

 

 

As imperfeições, naturais da madeiras e suas lâminas poderá ser preenchida com massa F12. No caso da Muirapiranga usamos a cor Ipê.

 

 

Depois lixe para alcançar a perfeição.

 

 

Aguarde a fase 5.

Básico em Marchetaria – fase 3

A idéia é fazer um relógio, utilizando a base para relógio que a Soliarte revende. de

É importante já colocar os ponteiros do relógio para sentir como ficará.

A Equipe Soliarte opinou e chegamos à conclusão de que o ideal seria fazer a moldura do relógio com a lâmina de Muirapiranga. O único problema é cortar a lâmina, pois é dura.

 

 

Já testamos o relógio com ponteiros pretos:

 

 

Sob a base do relógio também será colocada uma lâmina. Para cortar a lâmina de Muirapiranga (conhecida também como Pau-brasil) é necessário além da fita crepe, passar o estilete por 3 ou 4 vezes, até o corte final:

 

 

Na parte interna da borda também será colado o revestimento. Tire a medida e passe para a lâmina (sobre a fita crepe):

 

 

Importante observar que os veios (naturais) das lâminas fiquem no mesmo sentido, no caso, vertical:

 

 

Coloque todos os recortes na ordem de utilização:

Básico de Marchetaria – fase 1

A Soliarte pretende oferecer aos clientes várias alternativas para Relógios. Desenhei um modelo e pedi para nosso fornecedor executar o trabalho. Acontece que a peça gerou controvérsia. Eu gosto dela e vou sugerir um acabamento. Deveria ser simples de executar. Visando dar uma idéia para as pessoas que precisam fazer um trabalho manual não muito complicado, porém renovador.

Técnica da Marchetaria

Pensei em misturar vários tipos de lâminas de madeira, específicas para Marchetaria.

 

 

Você viram a peça que bolei? Você não acha que dá para revestí-la na técnica da Marchetaria, Mosaico ou Découpage ou pintá-la?

Depois de muito pensar decidí utilizar somente a lâmina composta Ev Tulip. Inicialmente cruzando 2 lâminas, fazendo uma emenda.

 

Não vair ficar legal.

Vou utilizar somente a EV Tulip para revistir todo o relógio.

 

 

Vou fazer este trabalho em etapas. Na próxima fase vou iniciar os cortes.

MDF na Bijuteria

Os recortes a laser criam no MDF áreas escuras, exatamente onde são realizados os cortes, possibilitando efeitos muito bonitos. Pode-se utilizá-los mesmo sem pintura. E são extremamente leves. Mais opções para a técnica de Bijuteria e até como um detalhe numa caixa de madeira.

m1

“Acordei com o toque suave de um beijo
E uma cara sardenta encheu-me o olhar
Ainda meio a sonhar perguntei-lhe quem era
Ela riu-se e disse baixinho: estrela do mar”

de Jorge Palma

m2

m3

m4

A marchetaria

A marchetaria é uma técnica interessante. É um caminho ecológico: você compra, por exemplo, uma caixa feita de material reciclado tipo MDF, e reveste com lâminas naturais (a derrubada de árvores é infinitamente menor) ou compostas (feitas com árvores de replantio e coloridas segundo os veios originais, com desenho feitos por computador e impresso na lâminas, por vezes, a lâmina natural é misturada)

Lâmina composta imitando com perfeição o Ebony listrado.

Lâmina natural do Cedral aromático. Linda e com perfume diferenciado.
Arco de serra importado para cortar as lâminas (bem finas) nos pequenos detalhes, por exemplo, uma flor.
Produto revendido na Soliarte.
Para cortar as lâmina, usualmente, se utiliza um estilete de qualidade. Para não quebrar a lâmina utliza-se a fita crepe ou fita gomada com cola animal.
São infinitas as possibilidades de desenho, fazendo-se composições entre as diversas variedades de lâminas.
Veja, seguindo os passos anteriores, como se forma facilmente um xadrês.

Para colar as lâminas na caixa existem 2 métodos:
Com cola de contato, passando nas 2 partes, esperando secar e juntando-as.
Com cola de contato à base d’água para lâminas irregulares.
Com Cola branca, passando nos 2 lados, esperando secar e após juntar as partes passar com ferro de passar roupa quente.

A partir desta fotos, trabalhos de nosso cliente Milton Luis Bonança. Ele tirou as fotos e nos enviou.

Flocou a caixa de escritório.

Apesar de ser um iniciante na arte, o Milton consegue um acabamento perfeito.

Nesta Arca, foi utilizada lâmina de Pau-brasil (vermelho).